3º Dia

A palha deu lugar a um colchão, o que é sempre bem mais agradável para as costas 🙂 Tal como a noite anterior também dormimos pouco, foi só tempo de tirar as remelas, despedirmo-nos do chalet, especialmente da sua psicadélica wc, e seguirmos para

Gstaad

Tínhamos chegado a este simpático vilarejo, charmoso destino de neve na Suiça, e pensámos fazer um pequeno investimento imobiliário num dos locais do mundo onde o m2 é mais caro. No entanto, esqueci-me do livro de cheques e aproveitámos então para dar uma voltinha e fingimo-nos de ricos por uma hora enquanto víamos os chalets-lojas com marcas de luxo 🙂

 

Mirage Gstaad 2019

Seguimos caminho e após um curto percurso a pé chegámos a esta casa/obra artística do norte americano Doug Aitken, completamente vestida de espelhos e tendo como inspiração os tradicionais ranchos do oeste americano.

DSC01250

No meio da montanha, a reflexão dos espelhos exteriores da casa dão uma dimensão ainda mais incrível ao cenário, tendo sempre os Alpes como pano de fundo.

Esta obra ficará por aqui durante dois anos e deverá ser incrível visitá-la nas mais diversas estações do ano, principalmente no Inverno rodeada de neve.

 

Este cenário tão idílico inspirou-nos a fazer pequenos filmes tendo como banda sonora o filme “Música no coração”, só faltou a criançada Von Trapp andar por ali alegremente a correr, a saltar e a cantar 🙂

DSC01242

Se tiverem por perto aconselhamos a visita. Foi somente um dos locais mais bonitos que vimos na nossa visita à Suiça!

Estávamos a ficar com falta de açúcares no sangue e nada melhor do que dirigirmo-nos para a

Maison Callier

A famosa fábrica de chocolates Suiços 🙂

61203150_2330321993695745_2092406945901182976_n

Com direito a audio-guia em Português em forma de tablete de chocolate, começámos a visita pelo museu com a explicação da origem do chocolate, desde o cultivo até à colheita do cacau, e de que forma mais tarde os Europeus no séc. XVI trouxeram o cacau para os grandes salões nobres. Inicialmente esta iguaria era apenas consumida em estado líquido, tendo sido o fundador da fábrica, Louis Cailler, a produzir um chocolate em forma de barra e de modo industrial.

 

No entanto o crash na bolsa dos EUA e, de modo à empresa não desaparecer, fez com que o seu fundador se tivesse que aliar a um dos seus grandes concorrentes, a Nestlé, aliança que continua até aos dias de hoje, não deixando porém de manter o seu nome Cailler 🙂

Terminada esta parte da visita entrámos numa sala interactiva onde nos deram a conhecer e provar todos os ingredientes usados no fabrico dos seus chocolates, o cacau, manteiga de cacau, avelas, amêndoas. Têm fornecedores próprios e locais bem definidos no globo de onde obtém as suas matérias primas. É um dos locais mais interessantes da fábrica.

 

De seguida foi-nos apresentado o processo da fabrico do chocolate e no fim da linha de produção começámos a provar uns deliciosos bombons, que por via das dúvidas tivemos que repetir várias vezes de modo a assegurar um correcto controlo de qualidade 🙂

Pudemos ver parte da antiga fábrica com todas as suas máquinas e de seguida ensinaram-nos passo a passo como degustar um chocolate, tal como uma prova de vinhos 🙂 Para mim é muito simples, ou é bom ou não, e os chocolates Cailler são sem dúvida divinais!

Estávamos já perto do grand finale. Apesar de ao longo da visita termos provado alguns chocolates, chegava a hora da grande degustação, iríamos ter oportunidade de provar toda a panóplia de chocolates da Cailler! A verdade é que gostámos de todos sem excepção, desde o de leite até ao de chocolate preto com mais % de cacau, saímos a modos com a barriguinha cheia! 🙂

 

Para quem gosta de chocolate, de um bom chocolate, é imperdível e obrigatória a visita!

Depois de uma overdose de chocolate que acabávamos de sofrer, fomos desentorpecer as pernas para a fantástica vila de

Gruyeres

No pico de uma colina, envolta pelas muralhas do seu castelo, mora a famosa aldeia medieval de Gruyeres, conhecida pelo seu mundialmente famoso queijo 🙂

Por aqui aproveitámos para passear nesta vila tão charmosa e pitoresca, que preserva ainda a sua arquitectura medieval. Por aqui não circulam automóveis e pudemos tranquilamente desfrutar e contemplar a beleza da vila, com o seu castelo lá no cimo.

61136513_2330321820362429_2314878168705531904_n (1)O São Pedro Suiço estava realmente a ser generoso para nós, o tempo estava fabuloso e fomos matar a sede no

HR Giger Bar

Acabámos o passeio em Gruyeres num bar que pela sua originalidade nos merece destaque.

Todo ele inspirado e idealizado pelo artista Suiço H.R.Giger, criador do famoso filme alien, é sem dúvida diferente de qualquer bar que já tinhamos estado até então.

61181382_2330321810362430_4130608604208168960_n

Mal entrámos parece que fomos engolidos por uma criatura gigante. Apesar de não sermos propriamente fãs do filme reparámos que toda a sua decoração tem detalhes até ao ínfimo pormenor, desde o tecto, mesas e cadeiras.

Por aqui descontraímos um pouco e seguimos para o nosso último destino do dia

HvVkkHee

Estavayer- le-Lac

Apelidada de cidade das rosas, demos uma voltinha pelo centro desta bonita cidade medieval, onde o seu lindíssimo Castelo Chenaux tem lugar de destaque, e a sua torre de menagem de 33 metros mete respeito!

Estando nas margens do enorme lago de Neuchatel, foi precisamente aí que fomos acabar o dia e ver o pôr do sol. Um dos spots preferidos dos nossos amigos, para virem descontrair um pouco no final do dia, e rapidamente percebemos o porquê, é realmente bonito e relaxante.

61105403_2330196323708312_1131097891012608000_nO dia acabou já em casa a comer uns moulles, acompanhados por uma bebida/refrigerante típica da Suiça, feita à base de…soro de leite! O que dizem? No mínimo diferente 🙂

Até amanhã!